quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Método

Por hora, eu quero apenas ver o mundo, através do copo americano, cheio de cerveja, em um bar vagabundo.

sábado, 23 de julho de 2016

Banal

Por qual razão não pensastes entre os teus tragos sobre o quão doce é a respiração da sensatez?

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Balada Triste (ou poeira & pedras no tablado)

Enquanto vivias
Por viver
Cega sob
a ribalta
Em meio a
Mambembes inúteis
& um entrelaçado
& nocivo
Punhado de ilusões

Eu apenas queria
Te proteger
Do roteiro
Que tu mesma
Escrevias  

Não era culpado
De nada daquilo
Que sopravam 
na tua cara

Mas era justo
De mim
Que tão tola

Fugias. 

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Blue Note


















Não está 
no amontoado de 
papéis guardados 
em caixas velhas 
e sem fundos

Não está 
nos álbuns
esquecidos em
móveis velhos 
e moribundos

Nem no falar 
de tudo aquilo 
que é dito
para ser
esquecido

Tampouco no
olhar perdido
do vilão que
ilude dançando
e distorcendo
sonhos
sobre nuvens
enquanto muda
de pele

Aquieta e dorme
sem resposta... Pois cães,
gatos, carros e
fantasmas somem
na bruma da madrugada
que torna o teu sono
leve.



quinta-feira, 15 de março de 2012

Signos





Absorto
em beijo profundo,
impassível ao
perigo,
nos negros jardins
da escuridão


Tão dúbio
é o destino:
Por que assim
nos fazes tão teus?


Na enfeitiçada
dança dos sentidos,
que desafia
os caprichos do acaso
aderidos aos pés,
os sonhos habitam
nossos corpos
Somente a
realidade sóbria,
ainda não percebeu.

sábado, 3 de março de 2012

Otherside




Navegar
no mar
das futilidades,
não é preciso

Vamos arranhar
os olhos
e
quebrar
os pensamentos
das falsas verdades

Viver é preciso.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Poeira




Não travamos
uma guerra,
nem jogamos jogos
que provocassem
quaisquer tragédia

Entre eu
e você
há apenas
o coito interrompido
de um mundo
iluminado pela metade,
insano nas suas
próprias regras.